especial imprensa Persona

Mídia impressa e conteúdo exclusivo

Em entrevista, Quelen Cristina F. Amaral Torres, publicitária, pós graduada em marketing, mestre em comunicação, consultora de marketing,  professora universitária e coordenadora dos cursos de comunicação da ESAMC fala sobre mídia impressa, credibilidade e conteúdo exclusivo nos tempos atuais.

Singular: O brasileiro tem buscado meios de informação para se atualizar e a cada dia o número de canais existentes só aumenta. Qual a importância na hora da escolha do veículo de informação para a busca de conteúdo com credibilidade? Como não cair em canais de comunicação duvidosos?

Quelen Torres: Com a proliferação do conteúdo digital, as informações estão por toda parte, mas nem sempre os dados são checados, muitas vezes sequer são verdadeiros. Muitas notícias falsas são plantadas propositadamente para abalar a imagem de uma empresa, marca ou personalidade. Quem nunca teve acesso a uma notícia e depois descobriu que essa não era verdadeira? O público deve ficar atento ao histórico e reputação do meio, deve buscar saber quem são os profissionais que estão por trás das informações.

Singular: Para os veículos de comunicação, a sobrevivência e manter-se no mercado, não ser mais um entre os demais é sempre um desafio. Atualmente, as atenções se voltam em grandes redações para a produção de conteúdo exclusivo como fator determinante de destaque entre os demais. Qual a importância da qualidade do conteúdo?

Quelen Torres: Uma mesma informação é replicada em diversos canais, basta dar uma busca no Google para constatar esse fato; informações de qualidade e exclusivas são mais raras e se tornam o grande diferencial dos meios de comunicação, uma vez que garantem consumidores assíduos e fieis.

Singular: A mídia impressa traz conteúdo mais aprofundado para a contextualização do público leitor e permanece também nas plataformas digitais, para o fácil acesso, com custos e tempo menores. Qual a contribuição das mídias impressas para a qualidade da notícia em tempos de leituras rápidas e curtas online?

Quelen Torres: Fala-se muito no fim das mídias impressas, é fato que a revolução digital impactou diretamente os meios de comunicação, não só os impressos como jornais e revistas, mas os eletrônicos como rádio e televisão também estão em fase de reinvenção. A maioria das mídias está presente em várias plataformas, tornando-se o que o mercado chama de transmídia. Como exemplo podemos mencionar as revistas e jornais impressos que também estão presentes no meio digital. Mas é importante entender que cada plataforma tem um papel e uma linguagem específica e que os meios físicos e digitais devem atuar de forma complementar. As mídias impressas contribuem com um conteúdo muitas vezes mais detalhado e de alta qualidade enquanto que os digitais são normalmente consumidos de forma mais rápida.

Singular: Informar-se é diferente de buscar a notícia e compreender todo o seu contexto, seja histórico, econômico, político ou cultural. As mídias impressas como jornais e revistas trazem o atual e tudo o que envolve o fato ocorrido anteriormente. As mídias de conteúdo exclusivo têm esse papel fundamental na comunicação?

Quelen Torres: Em uma entrevista à HSM, Walter Longo, CEO do grupo Abril, mencionou que existem 3 tipos de curiosidade: a diversiva, a empática e a epistêmica. O curioso diversivo é aquele que quer saber de tudo um pouco, sem muita profundidade e, dessa forma, se sente seguro e no controle do seu mundo. Pessoas com esse perfil estão em busca de um conteúdo genérico e superficial, normalmente entregue em meios digitais. O curioso empático é aquele que tem interesse em todas as informações sobre pessoas, sua fonte na maioria das vezes também é digital. Já o curioso epistêmico é aquele que quer saber o porquê das coisas, como elas acontecem e qual o impacto ou resultados dos fatos. São pessoas que buscam, principalmente nos meios impressos, formar um ponto de vista mais analítico sobre os acontecimentos. Para esse público, formador de opinião, as mídias de conteúdo exclusivo tornam-se vitais.

Singular: Investir em conteúdo de qualidade e exclusivo traz um público leitor de maior nível, que está disposto a pagar para receber informação. Desta forma, marcas divulgam seus nomes com publicidade e marketing para um público selecionado. Qual o diferencial de um veículo com conteúdo exclusivo para a consolidação de marcas e como investimento de marketing para as empresas? Por que buscar esses veículos para anunciar entre os demais?

Quelen Torres: A comunicação sempre teve como premissa a identificação, as pessoas consomem aquilo que representa o que elas são ou o que gostariam de ser. Em tempos em que o consumidor é quem diz o que vai ver e onde, o conteúdo exclusivo e  relevante torna-se imprescindível para a comunicação da marcas. Os anunciantes devem buscar os meios que geram identificação direta com seus públicos e adequar a linguagem de seus anúncios ao perfil dos meios. Um anúncio em meio impresso, permite informações mais detalhadas pois o tempo e a disposição para leitura são maiores.

Anúncios

0 comentário em “Mídia impressa e conteúdo exclusivo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: